COMUNICADO
O Consórcio Intermunicipal da APA Federal do Noroeste do Paraná - COMAFEN Informa que esta em novo endereço:
 
Edital de Licitação de Seguro - Pregão Presencial
Constitui objeto do presente certame a contratação de empresa corretora de seguros automotivos, com a finalidade de aquisição de seguro para os veículos: Grand Siena placa AYT 1837, Fiat Uno Mille Way
 
ABERTURA DE LICITAÇÃO PARA AQUISIÇÃO DE COMBUSTÍVEL
O Consorcio Comafen com interesse em adquirir combustíveis para os veículos da frota do consorcio, abre processo licitatório 06/2018, que estabelece pregão presencial que se dará dia 28/09/2018.
 
+ Veja mais informativos
 
 
Paraná terá mais R$ 54,5 milhões por ano para atendimento à saúde
Tamanho da letra A+ A- Padrão
 CURITIBA (ANPr) - O Paraná passa a receber R$ 54,5 milhões por ano do Ministério da Saúde para habilitação e qualificação de serviços de saúde que, até então, eram custeados parcialmente com recursos do Governo do Estado.  O governador Beto Richa e o ministro da Saúde, Ricardo Barros, assinaram as portarias para habilitação dos serviços em evento no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Com isso, o Paraná poderá aplicar o montante em outras iniciativas, como a ampliação do mutirão de cirurgias, que tem financiamento do tesouro estadual. Uma antiga demanda do Paraná junto ao governo federal está sendo atendida, que é a ampliação no Estado do programa Rede Cegonha, de atenção materno-infantil. Haverá credenciamento de leitos de UTI e mais recursos para esse programa. Também foram anunciados recursos para custeio de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de nove municípios. Na mesma solenidade, Richa anunciou R$ 5,1 milhões, do Governo do Estado, para a aquisição de equipamentos destinados aos hospitais Santa Rita, de Maringá, e Angelina Caron, de Campina Grande do Sul. O governador afirmou que o repasse anual de recursos do Governo Federal para o Paraná, corrige uma dívida do Ministério da Saúde com o Estado.  “São importantes investimentos para a saúde do Paraná vindos de Brasília, coisa que há muito tempo não acontecia. Havia uma discriminação política sem precedentes contra o nosso Estado”, afirmou. Richa ressaltou que, mesmo sem a contrapartida federal, o Governo do Estado não deixou de aportar recursos para a manutenção dos serviços de saúde no Estado.  “Nós continuamos investido fortemente nesta área, nunca recuamos. Sei das dificuldades, hoje, de tratar da área da saúde com a escassez de recursos, mas juntos, aqui no Paraná, estamos conseguindo fazer a diferença e dando exemplos ao Brasil”, destacou. Entre as ações do Governo do Estado para garantir atendimento à população, ele citou programas executados pelo Estado, como o de apoio aos hospitais públicos e filantrópicos que fazem o atendimento pelo Sistema Únicos de Saúde (Hospsus), o programa voltado a melhorar à atenção primária à saúde, feita nos municípios ( Apsus) e a utilização das aeronaves do Estado para o atendimento de urgência e emergência e transporte de órgãos para transplantes. RICARDO BARROS - O ministro Ricardo Barros explicou que o repasse para o Paraná só foi possível com as medidas de gestão adotadas nos cem primeiros dias deste governo, que geraram um economia de R$ 1 bilhão ao Ministério da Saúde. “Fizemos uma reforma administrativa muito forte, reduzimos cargos, enxugamos a máquina, revisamos contratos e compramos medicamentos de forma mais eficiente, o que permitiu a economia”, disse. “É este recurso que está sendo aplicado agora”, afirmou. Segundo Barros, em todo o Brasil, serão repassados R$ 391,5 milhões por ano para 229 entidades filantrópicas. Também serão destinados R$ 145,3 milhões para 81 UPAs. A estratégia é reduzir o déficit de R$ 3,5 bilhões acumulados pelo Ministério da Saúde nos últimos anos. TODAS AS REGIÕES  Para o secretário de Estado da Saúde, Michele Caputo Neto, o repasse desses recursos é um sinal de respeito do governo federal com o Paraná. “Todos esses investimentos vão beneficiar hospitais e consórcios de saúde e farão com que a gente invista ainda mais na área da saúde”, declarou.  “Os recursos irão para todas as regiões do Paraná, com investimento em UPAs que funcionavam sem o financiamento federal, em hospitais estratégicos e no sistema de urgência e emergência operados principalmente pelos Samus”, explicou Caputo. SERVIÇOS  O repasse dos recursos se inicia já neste mês de outubro e possibilitará a habilitação de 24 entidades filantrópicas, entre hospitais e santas casas, no valor anual de R$ 39,1 milhões, para a execução de serviços de saúde.  Os recursos vão permitir a ampliação de atendimento da Rede Cegonha, programa do governo federal de atenção materno-infantil, e o credenciamento de 84 leitos de UTI adulto, neonatal e pediátrica de hospitais paranaenses, além de outros serviços. Outros R$ 15,4 anuais são para o custeio de nove UPAs, que foram inauguradas há cerca de um ano e funcionavam sem a contrapartida federal, sendo custeadas pelo Governo do Estado. Serão beneficiados os municípios de Arapongas, Francisco Beltrão, Guaíra, Ibiporã, Londrina (UPA Centro), Pato Branco, Pinhais, Ponta Grossa e Telêmaco Borba. Também serão enviados R$ 8,4 milhões de emendas parlamentares para entidades assistenciais de saúde. REDE CEGONHA  Com as habilitações, 12 novos hospitais em todo o Estado receberão recursos federais para UTIs adulto e neonatal, dentro do Rede Cegonha. Pelo programa, o governo federal paga valores maiores para os hospitais pela prestação do serviço de atendimento às gestantes e bebês. Embora hospitais de todas as regiões tenham aderido ao programa, somente os de Curitiba, Maringá e Londrina foram habilitados e vinham recebendo esses valores mais altos. Nas demais regiões, apesar de ser o mesmo tipo de serviço, a tabela de valores para os hospitais era menor. Para garantir que todas as intituições de saúde tivessem a mesma remuneração, o Governo Estadual vinha compensando a diferença com seus próprios recursos. Governo destina R$ 5,1 mi para dois hospitais O governador Beto Richa também anunciou nesta segunda-feira o repasse de R$ 5,1 milhões para compra de equipamentos em dois hospitais filantrópicos que atuam no Estado. Serão destinados R$ 2,3 milhões para aquisição de aparelhos para o centro cirúrgico do Hospital Santa Rita, de Maringá, no Noroeste, e para reforçar a retaguarda assistencial da unidade. O objetivo é contribuir com o processo de modernização deste hospital, que é referência de atendimento na região. Serão adquiridos equipamento para tomografia computadorizada, navegador para cirurgias neurológicas, autoclave, entre outros.  Além dos equipamentos, o Estado destina anualmente R$ 2,4 milhões para auxiliar o hospital no pagamento de despesas de custeio e para atendimento da rede Paraná Urgência. O recurso é repassado na modalidade fundo a fundo à prefeitura de Maringá, que o transfere à instituição. Atualmente, o Hospital Santa Rita conta com 264 leitos gerais, sendo 84 do SUS. Deste total, 66 são de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), atendendo recém-nascidos, crianças e adultos. Ao todo, a estrutura realiza cerca de 8 mil atendimentos, 2 mil cirurgias e 150 partos por mês.
 
Fonte: www.diariodonoroeste.com.br
https://www.diariodonoroeste.com.br/noticia/cotidiano/estadual/82211-parana-tera-mais-rs-54-5-milhoes-por-ano-para-atendimento-a-saude
 
< Voltar
 
 
 

  Rua Waldemar Teixeira de Farias, 605
CEP 87950-000
Porto Rico - PR